quinta-feira, junho 07, 2007

O Adeus ás tréguas…

Na passada terça feira a ETA declarou o fim do cessar-fogo, que tinha com o governo espanhol desde 2005. Cessar-fogo este aceite pelo, primeiro-ministro espanhol num crasso erro estratégico. Em 2005 a ETA (em grande medida graças à politica anti-terrorista de José Maria Aznar) estava de joelhos, pedindo por isso tréguas ao governo espanhol, que muito ingenuamente aceitou, pensando que daí poderia resultar um dialogo que trouxesse a paz à Espanha. Este período de calma, foi usado cinicamente (tal como outras tréguas anteriores) pelo movimento separatista basco para se reorganizar e rearmar, sem nunca haver qualquer reacção de repressão por parte do governo espanhol, mesmo quando a ETA quebrou as tréguas com o atentado de 30 de Dezembro de 2006 no Aeroporto de Madrid. Quem é em grande medida culpado, por esta catastrofica situação é sem duvida o senhor Zapatero, que com a sua visão talvez um pouco cor-de-rosa do mundo, insistiu em prosseguir com um ano e meio de negociações vazias, mantendo-se surdo aos avisos do líder do PP Manuel Rajoy (antigo ministro do Interior, e portanto bastante mais experiente nestes assuntos).
Logo após o comunicado de fim de cessar-fogo, o primeiro-ministro declarou que não faria cedências à ETA. Este súbito acordar para realidade do primeiro espanhol vem um pouco tarde, pois o que demorou 10 anos a fazer, perdeu-se em um ano e meio de pacifismo. Alguém deveria explicar ao senhor Zapatero três princípios da Estratégia:

1º) Não se dá tréguas a um adversário, quando este está prestes a ser derrotado, pois estas serão utilizadas pelo primeiro para recuperar o folgo.

2º) Quando se é atacado durante um período de tréguas pela parte rival, significa que as tréguas foram rompidas (era de esperar que toda a gente soubesse isso).

3º) Não se negoceia, com movimentos terroristas, pois ao faze-lo está-se a reconhecer a sua existência e legitimidade, e por consequência a fortalece-lo aos olhos da opinião publica.

Esperemos que isto sirva de lição ao Senhor Zapatero , e que este de futuro tenha a humildade de escutar o conselho de homens bastante mais experientes no assunto

2 Comments:

Blogger André Barbosa said...

Bem-vindo Rodrigo!
Quanto ao "Post", a qualidade de sempre. Destaco as 3 noções de estratégia, com as quais concordo em absoluto.

Forte abraço

08 junho, 2007 00:00  
Blogger JoseSouzaBrandao said...

Muito bem! É como dizes: um pouco de humildade não faz mal a ninguém...
Bem vindo, Rodrigo!

10 junho, 2007 16:53  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home