segunda-feira, outubro 29, 2007

Moshe Dayan



Como figura mensal já tinha publicado ontem Milton Friedman... mas como para o próximo mês não sou eu, porque reflecti um bocado sobre quem escolher e também porque não disse nada acerca do Milton Friedman, um grande economista e considerado o "pai" neoliberalismo que falarei melhor mais tarde, decidi eleger para personalidade do mês Moshe Dayan.
Moshe Dayan nasceu a 20 de Maio de 1915 no kibbutz de Degania. Moshe Dayan destacou-se por ser o maior comandante militar de Israel e também por ter sido ministro em diversos governos muito importantes na história do país.
Com 14 anos iniciou a carreira militar na Haganah (guerrilha sionista) que combatia os árabes. Esta organização foi proibida pelos britânicos em 1939 e Dayan foi preso durante dois anos pelas autoridades britânicas, liderou depois as forças judaicas da Palestina que combateram a França de Vichy, na Síria e no Líbano. Perdeu o olho esquerdo e passou a usar um tapa-olho que o tornou inconfundível.
Na luta pela independência comandou a região de Jerusalém e depois chefiou as forças armadas de israel (IDF) durante uma série de anos. Foi Moshe Dayan quem arquitectou a invasão da península do Sinai, o que o tornou aos olhos do Mundo um dos maiores estrategas militares do século XX.
Moshe Dayan deixou então a vida militar quando foi eleito para o Knesset (Parlamento) em 1959. Foi ministro da agricultura do governo de Ben-Gurion e o grande responsável pelo desenvolvimento daquele sector (em Israel a indústria agricola é altamente desenvolvida tecnologicamente, extremamente produtiva tendo em conta que é quase tudo deserto e há muitas empresas que exportam tecnologia agricola para todo mundo).
Em junho de 1967, como Ministro da Defesa, comandou a vitoriosa guerra dos seis dias. Passou então a exercer crescente influência na política externa. Em outubro de 1973, quando o Egito e a Síria atacaram Israel de surpresa e desencadearam a guerra do Yom Kippur, Moshe Dayan voltou a ter um papel fundamental.
Em 1978 foi Ministro do Exterior do governo de Menachem Begin e tornou-se o principal arquiteto dos acordos de Camp David, assinados no ano seguinte entre o Egito e Israel, que fez com que o Egipto reconhecesse Israel enquanto país.
Moshe Dayan morreu em Tel Aviv, em 16 de Outubro de 1981.

Etiquetas:

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home