quinta-feira, novembro 16, 2006

Não sou só eu que digo isto...

A cada um, o que é seu
(Ou a teoria, na prática, é diferente)
Uma universitária cursava o sexto semestre da Faculdade. Como é comum no meio universitário, pensava que era de esquerda e estava a favor da distribuição da riqueza.
Tinha vergonha do seu pai. Ele era de direita e contra os projectos que “davam benefícios aos que não mereciam e impostos mais altos para os que conseguiam ganhar mais dinheiro”.
A maioria dos seus professores tinha afirmado que as ideias dele eram equivocadas.
Por tudo isso, um dia, decidiu enfrentar o pai.
Falou com ele sobre o materialismo histórico e a dialéctica de Marx, procurando mostrar que ele estava errado ao defender um sistema tão injusto como o da direita.
No meio da conversa seu pai perguntou:-Como vão as aulas?
-Vão bem, respondeu ela. A maioria das minhas notas é 9, mas me custa muito trabalho consegui-las. Não tenho vida social, durmo pouco, mas vou em frente.
O pai prosseguiu: -E a tua amiga Sónia, como vai?
Ela respondeu com muita segurança:-Muito mal. A sua média é 3, principalmente porque passa os dias em shoppings e em festas. Estuda pouco e algumas vezes nem vai às aulas. Com certeza repetirá o semestre.
O pai, olhando nos olhos da filha, aconselhou:-Que tal se você sugerisse aos professores que transferissem 3 pontos das suas notas para as da Sónia?
Com isso vocês duas teriam a mesma média. Não seria um bom resultado para você, mas seria uma boa distribuição de notas para permitir a futura aprovação de vocês duas.
Ela indignada retrucou:Por que? Eu trabalhei muito para conseguir as notas que tive! Não acho justo que todo o meu trabalho seja, simplesmente, dado a outra pessoa!
Seu pai, então, a abraçou carinhosamente, dizendo:
BEM-VINDA À DIREITA!

4 Comments:

Blogger André Barbosa said...

Uma boa lição de vida.

17 novembro, 2006 14:38  
Blogger mariana said...

sinceramente, que raio de argumentação mais bacoca e infundamentada!
a questão seria dividir as notas por ambas se ambas trabalhassem o mesmo e tivessem notas tão diferentes...porque este argumento risível não é de direita nem esquerda...é de tolos...

20 novembro, 2006 01:28  
Blogger JoseSouzaBrandao said...

É uma anedota...

20 novembro, 2006 21:15  
Blogger André Barbosa said...

Mariana,

Como referiu - e bem - José Souza Brandão, é uma anedota. A piada e por sinal o mais importante, consiste em uma parte trabalhar e ser recompensada por isso. Agora se entrarmos nos "se", a piada perde a sua graça, não concordas?

20 novembro, 2006 21:40  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home