quinta-feira, abril 12, 2007

Comunicado da CPC-Porto

De acordo com a iniciativa levada a cabo pela Associação de Bares da Zona Histórica do Porto (ABZHP) de abrir, no final deste mês, alguns estabelecimentos comerciais em parceria com alguns bares nocturnos até à meia noite, a Juventude Popular do Porto entende que esta corresponde ao interesse de dinamizar a Baixa Portuense:
Uma das bandeiras politicas da Juventude Popular do Porto do presente mandato é a da revitalização da Baixa Portuense, devido ao seu ainda actual estado de desertificação e do seu marasmo perante o resto da economia e desenvolvimento das suas coroas periféricas.
A Baixa e o seu comércio só por si têm se mostrado algo debilitados, relevando incapacidade de atrair investidores “âncora”. Iniciativas como esta, poderão, sem dúvida, contribuir para oferecer uma alternativa e posteriormente retomar a vivência que caracterizou em tempos esta zona.
É fundamental atrair jovens e clientes ao espaço da Baixa, e alargando o horários de alguns estabelecimento poderá contribuir para um novo conceito, já que o início de noite se tem revelado um verdadeiro “deserto”.
Para estimular a revitalização da Baixa e fomentar o sucesso de iniciativas como a apresentada pela ABZHP, Juventude Popular do Porto defende que, apesar do continuo esforço por parte do actual executivo camarário, problemas como a insegurança, a falta de acessibilidades e estacionamento para quem frequenta a Baixa Portuense à noite, devem ser atenuados e resolvidos.
Existindo ainda algum sentimento de insegurança por parte dos frequentadores das ruas da Baixa, é fundamental que exista um eficaz policiamento do eixo compreendido entre Ribeira -Avenida Aliados – Batalha, essencialmente em iniciativas desta natureza que se prolongam até à meia-noite.
O Estacionamento e a falta de acessibilidades são outros dos problemas que a Juventude Popular do Porto, no seu entender, considera imprescindível para um correcto funcionamento e atractividade da Baixa pelos Portuenses. Alguns dos estacionamentos existentes - Praça dos Leões, da Batalha e da Praça de Lisboa - deveriam estar abertos sem qualquer custo de utilização. As acessibilidades como o METRO e os STCP, deveriam promover horários mais alargados e a um custo de utilização reduzido como forma de fomentar o acesso.
A Juventude Popular do Porto entende que iniciativas como estas, que devem ser desenvolvidas com regularidade, são julgadas como totalmente cosmopolitas e promotoras de uma qualidade de vida necessária a quem vive em grandes cidades.
Pela Comissão Política da Concelhia do Porto da Juventude Popular,

O Presidente

Miguel Costa Dias

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

pois pois mas o problema é que temos uma governadora civil ao serviço de outras forças que não as que estao com a baixa. é lamentavel o que ela fez (noticia jn de 8/7/2007)isto só prova que a extinçao dos gov.civis deve ser o mais rapidamente possivel. chega de incompetencias.

08 julho, 2007 21:59  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home