quinta-feira, dezembro 27, 2007

SEM COMENTÁRIOS (2)

“Salazar pôs isto na ordem e agora já não sabemos fazer a democracia outra vez. Estamos estrangulados. Mais: se não é a UE, há muitos anos que não vivíamos em democracia. (...) O país prosperou sempre mais com regimes de autoridade.”
Pedro Arroja, “Visão”, 27-12-2007

11 Comments:

Blogger João Ribeirinho Soares said...

Esse gajo é um Nazi disfarçado de Liberal!

27 dezembro, 2007 14:08  
Blogger André Barbosa said...

Gonçalo,

Não concordo minimamente com o título. Mais, destas declarações considero que se podem fazer inúmeros comentários.

Concordo plenamente com a primeira parte "Salazar pôs isto na ordem". De facto, à época, Salazar foi um grande politico. Basta pensar na desordem e clima de terror em que se vivia, até à chegada do Srº Professor. A inteligência que demonstrou aquando da 2ª Guerra Mundial, fez dele um dos grandes politicos do Séc.XX.
Agora, muita coisa ficou por fazer como, por exemplo, investimento na Educação e nas infra-estruturas.

27 dezembro, 2007 15:25  
Blogger Goncalo Cevada said...

André,

Comentando em pormenor a frase: Não concordo de todo com a tua acepção de "grandeza/visão política" de Salazar. Concordo com a postura que o "Srº Professor tomou aquando da II Guerra Mundial, mas entendo que não é apenas um facto como este que, faz de Salazar "um dos grandes políticos do Séc. XX". Factos como o entender Portugal como uma realidade isolada - "orgulhosamente sós!"; uma obcessão pela manutenção de territórios ultramarinos com características marcadamente soberanas, ou ainda a defesa do "trio propagandístico 3F" - Fado, Futebol e Fátima tornam a meu ver, um político medíocre. Não foi nem um democráta convicto, nem um ditador ao estilo hitleriano, enfim, um verdadeiro provinciano que ainda hoje e, infelizmente é uma das causas para os vários atrasos que Portugal sofre.

27 dezembro, 2007 16:30  
Blogger André Barbosa said...

Gonçalo,

Eu não sou um entusiasta de Salazar, apenas reconheço que, à época, e no global, foi um bom politico. E quando afirmo isto é devidamente contextualizado. Hoje, Salazar provavelmente sería fraquinho, ou melhor, ultrapassado.
Quando Salazar aparece, é importante não esquecer, Portugal vivia a agitação da 1ª República e uma grave crise económica. É inegavel o excelente trabalho que Salazar teve na recuperação economica do País. Não te esqueças que foi também Salazar quem adoptou um regime de separação de poderes entre Estado e Igreja (A Concordata). A postura que demonstrou na 2ª Guerra Mundial foi,simplesmente, brilhante! Portugal com uma poltica neutra mas a ganhar em todos os quadrantes. Desconfio que as finanças de Portugal nunca estiveram em tão boa situação.

Quanto à "obcessão pela manutenção de territórios ultramarinos" resume-se, pura e simplesmente, a defender o que era nosso!

Obviamente Salazar falhou em muitos aspectos, nomeadamente na Educação e no atraso em que Portugal caiu. Com os recursos disponiveis (pós 2ª Guerra) lamenta-se a falta de visão do Srº Professor.

Mas, no global, e devidamente contextualizado, considero que Salazar foi um bom politico. Se tivesse que dar uma nota, seria certamente positiva.

27 dezembro, 2007 17:17  
Blogger Rodrigo Lobo d'Ávila said...

Cevada tens que compreender que a politica do “orgulhosamente sós” , não passava de efeito de propaganda: Portugal fazia parte da ONU, foi membro fundador da NATO, e era membro da EFTA (European Free Trade Association). Quanto à questão colonial tens que ter em atenção o período histórico, e levar em conta, que os outros países (que eram democracias) também tiveram guerras coloniais, acabando estas mais cedo porque também começaram mais cedo. Seria impensável um estado entregar o poder a um movimento qualquer movimento terrorista, sem contrapartidas…

P.S.: Quanto ao fado, futebol e Fátima lamento mas os líderes actuais não tem moral nenhum para falar disso. A começar pelo Sr. José Barroso...

27 dezembro, 2007 23:39  
Blogger João Ribeirinho Soares said...

apesar de não admirar minimamente Salazar o Rodrigo tem razão. Apesar de não admirar minimamente Salazar, Portugal crescia em média 6% ao ano... agora cresce 0,8%... não vale a pena vir com akela de que ivemos melhor na actualidade... como é óbvio pq nós crescemos... mas crescemos pouco... Como conclusão.. Salazar foi mau, mas Vasco Gonçalves, Mário Soares, Sá Carneiro, Pinto Balsemão, Cavaco, Guterres, Durão, etc foram muito piores!

28 dezembro, 2007 10:10  
Blogger Goncalo Cevada said...

Ver o desenvolvimento de um país estritamente pelo ponto de vista economicista, é deveras limitado para uma análise séria da questão. De facto o PIB na altura do Estado Novo era substancialmente maior do que o actual, mas não vale a pena recordar as condições sócio-culturais da época, facto extremamente penoso para o desenvolvimento como um todo de um qualquer país.

28 dezembro, 2007 18:52  
Blogger Hugo said...

como é que alguém consegue cair na falácia de ver o desenvolvimento apenas por um prisma?
Obviamente que um crescimento de 50%(passe o exagero)não sendo devidamente sustentado por variaveis diversas, como sócio-culturais,(muitas outras hoje são tomadas em conta como o meio ambiente), é um crescimento inútil e que concerteza tu não desejavas...
quando tiveres um filho...não lhe dês brinquedos, alimenta-o mal, veste-o mal, não lhe pagues a faculdade...e vais ver a tua conta privada, joão ribeirinho soares, a subir subir subir...
metaforicamente sabem onde quero chegar...

29 dezembro, 2007 20:57  
Blogger Knight in Shinning Armour said...

ok, ok... falam falam, mas os factos falam por si... foi sem dúvida o Mestre, o Senhor Professor, que nos deu aquilo que socialistas e laranjinhas pseudo-democraticos andam a esbanjar. Portugal saiu do fosso com a ajuda de Salazar e, apesar das coisas más que teve, foi sem dúvida alguma o melhor estadista que este país viu nos ultimos duzentos anos!

02 janeiro, 2008 16:47  
Blogger tiagofreitas said...

como é possivel defender um senhor como o senhor SALAZAR,,,sinceramente eu acho que está tudo doido...esse homem fechou Portugal ao Mundo...e ver o desenvolvimento de um pais pelo prisma económico só mesmo quem não percebe que um pais cresce sim por outros feitos...incluindo obviamente a cultura e a educação...coisa que no tempo do senhor SALAZAR...deixou muito a desejar...

03 janeiro, 2008 19:05  
Blogger Knight in Shinning Armour said...

Realmente Tiago... só mesmo tu para reduzires a obra do Professor às suas lacunas ao nivel de cultura.
Quanto ao prisma educacional, é certo que a escola não era para todos e por aí concordo contigo, mas que se aprendia mais, que havia uma maior preocupação com aquilo que se chama "cultura geral", ai isso havia.
Mas já devia estar à espera de um comentário dessa natureza proveniente de ti!
Discutir Salazar contigo? Marca a hora e o lugar e traz livros pois posso falar-te de coisas que não sabes e depois ficas mal! lol

04 janeiro, 2008 16:16  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home